sábado, 12 de junho de 2010

Resenha do texto de Marco Silva

Tema de Anísio Teixeira á Cibercultura: desafios para a formação de professores ontem, hoje e amanhã.




O texto de Silva inicia-se com uma inquietação de Anísio Teixeira a respeito da formação dos professores, ele prevê desafios cada vez mais cruciais a partir do seu tempo, quando se inicia o vertiginoso alastramento mundial dos meios de comunicação, da propaganda do consumismo e do entretenimento.


Em sua preocupação, a educação para todos não pode ficar alheia á revolução das ciências e dos meios de comunicação em massa, os professores precisam romper o método tradicional, engajando-se no enfrentamento dos descaminhos da cultura tecnológica.


O texto mantém um enfoque na formação de professores e preocupa-se pelo fato deles não terem sidos preparados para lidar com a televisão, e com a cultura de massa acompanhada da atual mídia digital on-line. Ele ainda diz que os professores estão distante do perfil necessário á nova formação dos estudantes por dizer “ainda não fizemos a educação que deveria ser feito para preparar o homem para época que ele criou e para a qual foi arrastado”.


Com isso ele dizia que era preciso formar professores capazes de lidar com a complexidade e a amplitude do seu tempo de modo a conduzi-lo e submetê-lo a uma ordem humana. Ele procurava antever o que poderia ser dos mestres dos dias vindouros, enfatizava que o professor estava em Crise e precisava haver uma mudança diante dos desafios da modernidade.


A seguir Teixeira dar sugestões de como reunir educação com os avanços da educação, ele sugerir expor os estudantes a uma diversidade de abordagens sobre conteúdos de aprendizagem, convidando-o a apreciar, sentir, rever, motivando-o a análise e a humanidade diante do conhecimento. Outra sugestão é lançar mão de equipamentos e de meios de comunicação, oferecendo a cada jovem, antes de terminar os níveis de estudo.


Ele oferece uma contribuição excelente para os professores especializados através dos recursos da televisão, do cinema e do disco levando todos os jovens a ver e ouvir e com o professor desdobrar, discutir e completar as lições. Anísio adverte que hoje é muito mais difícil fazer com que a educação chegue para todos, por isso ele recomenda os educadores a assumir o rádio, o cinema e a televisão como seus grandes aliados.


Apesar de não conhecer a internet Anísio Teixeira antecipou com lucidez e perspicácia a tendência de agravamento da dissolução do sujeito no progresso da mídia. Presencia-se que a pedagogia da transmissão continua implacável ao ciúme do modismo construtivista que veio valorizar a construção coletiva da aprendizagem pelos próprios estudantes. Pouco se fez para superar a prevalência da pedagogia da transmissão, e o resultado disso é sala de aula hoje cada vez mais sem atrativo e os alunos desinteressados no modelo clássico baseado em memorização e reprodução. Cada vez mais imersos na Cibercultura, os alunos estão exigindo uma nova forma de aprendizagem, pois eles se integram na chamada “geração digital” e estão cada vez menos passivos perante a mensagem fechada á intervenção. Eles evitam acompanhar argumentos que não permitem a sua interferência e lidam facilmente com a linguagem digital.


É preciso despertar o interesse dos professores para essa nova comunicação com os alunos em sala de aula tanto no presencial como a distância. Como mencionado por Silva, Anísio foi realmente um profeta, pois ele antecipou os problemas relacionados com a educação como, a evasão escolar da educação devido ao método tradicionalista em que os alunos não se interessam, não consegue ser passivos e apenas assimilar os conteúdos transmitidos, eles evitam acompanhar argumentos lineares que não permitem a sua interferência. Também os professores precisam fazer o uso da tecnologia como seus aliados investindo em participação coletiva, multidisciplinaridade e o diálogo.


Embora Anísio tenha antecipado sem ter presenciado o fracasso da escola para com a geração atual, ele faz uma abordagem tão real que o leitor se impressiona com a semelhança do mundo contemporâneo e suas recomendações continuam sendo utilizados pelos educadores atuais.





Nenhum comentário:

Postar um comentário